Os 10 candidatos a deputado federal mais bem votados em Turilândia

01 – Chiquinho Escórcio — 2.673 votos

02 – Pedro Fernandes — 1.511 votos

03 – Eliziane Gama — 615 votos

04 – Zé Reinaldo — 390 votos

05 – Victor Mendes — 333 votos

06 – Cleber Verde — 47 votos

07 – Waldir Maranhão — 38 votos

08 – Roberto Filho — 32 votos

09 – João Marcelo — 31 votos

10 – Aluisio Mendes — 24 votos

Anúncios

Os 10 candidatos a deputado estadual mais bem votados em Turilândia

01 – Glaubert Cutrim — 3.341 votos

02 – Josimar de Maranhãozinho — 2.125 votos

03 – Edson Araujo — 565 votos

04 – Heméterio Weba — 132 votos

05 – Ricardo Rios — 108 votos

06 – Adriano Sarney — 62 votos

07 – Zé Inácio — 55 votos

08 – Bira do Pindaré — 46 votos

09 – Raimundo Cutrim — 26 votos

10 – Othelino Neto — 24 votos

Quem tem telhado de vidro não joga pedra no telhado alheio!

Durante o programa Capim a Voz do Povo, exibido nesta quinta-feira dia 24/07 pelo Sistema Rio Turiaçu de Comunicação ( TV Rio Turiaçu Canal 11 e Rádio Rio Turiaçu AM ), o ex prefeito de Turilândia Domingos Curió através de ligação telefônica participa do programa fazendo graves acusações contra o atual prefeito Alberto Magno. Em seu pronunciamento, entre outras criticas, Curió acusa o atual prefeito Alberto Magno de desvio de recursos do FUNDEB. Curió também critica a atuação da presidente do Sindicato dos Servidores Publico de Turilândia, Edinolia Rabelo que durante o seu mandato foi perseguido e que agora várias pessoas de sua família ocupam cargos na prefeitura.
Vale lembrar que durante sua gestão, o ex prefeito Domingos Curió, teve seu nome envolvido em vários escândalos; vamos recordar?

Ex-prefeito de Turilândia é acusado de entregar 92 cheques em branco para agiotas

Ex-prefeito-Domingos-CurióO ex-prefeito de Turilândia, Domingos Sávio Fonseca Silva, conhecido como Domingos Curió, foi um dos que tiveram a “prisão coercitiva” realizada pela Operação Cheque em Branco da Polícia Federal, na semana passada.

Como de praxe, o Blog do Luis Pablo investigou e descobriu que o ex-gestor forneceu 92 cheques em branco para a quadrilha do chefão da agiotagem no Maranhão, Gláucio Alencar – acusado de ser um dos mandantes do crime do jornalista Décio Sá.

Toda essa quantidade absurda de cheques em posse do agiota foi apreendida pela Polícia Civil durante a Operação Detonando, que elucidou a morte de Décio Sá.

A PF constatou que o bando de Gláucio foi beneficiado durante a gestão de Domingos Curió, que compactuou com a rede de agiotagem no Estado.

O ex-prefeito, que é pai do prefeito de Governador Nunes Freire, Marcel Curió, poderá ser incriminado por corrupção ativa e passiva, formação de quadrilha e peculato.

Operação policial prende falsificador de documentos para fins eleitorais

Domingos-CurióPoliciais civis da cidade do Junco do Maranhão, Maracaçumé, Santa Helena e Governador Nunes Freire, comandados pelo  delegado Ricardo Pinto Aragão, cumpriram dois mandados de busca domiciliar na casa do falsificador Deyslan Silva Mendes, residente na cidade de Santa Helena e na fazenda do pré-candidato a prefeito da cidade de Governador  Nunes Freire Marcel Everto D. Silva, conhecido como Marcel Curió.

A busca domiciliar foi determinada pela juíza Raquel Araújo Castro Teles de Menezes com o parecer ministerial do promotor Hagamenon de Azevedo.

Na casa do falsificador Deyslan Silva, a polícia apreendeu as impressoras utilizadas na falsificação, além de grande quantidade de material falsificado como (extratos bancários do Banco do Brasil e Itaú, envelopes do Banco do Brasil e do Itaú, centenas de contas da Cemar, contas da operadora Oi, certidões de nascimento, casamento, documentos de carteira de identidade, documentos do cartório eleitoral de alguns municípios, mandados de busca e apreensão expedido pela 7ª Vara Cível de SãoLuís/MA, RGs, CPFs, certidão de óbito, IPVA e tantos outros.

Em seu interrogatório o Deyslan Silva Mendes, confessou que trabalhava no cartório eleitoral do fórum de Santa Helena, isso no ano de 2003, logo mais foi  transferido para o Tribunal de Justiça de São Luís/MA, no ano de 2008 passou em um concurso para Técnico Judiciário e estaria de licença até os dias atuais.

Segundo o delegado Ricardo Pinto, no ano de 2008, a fraude ajudou a eleger o prefeito de Turilândia, Domigos Curió, onde teria falsificado aproximadamente um mil e quinhentos documentos falsos para serem utilizados para transferências de títulos eleitorais, e pelo lote entregue de duzentos documentos entregues, receberia a quantia de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais).

O acusado Deyslan, confessou que já havia confeccionado aproximadamente setecentos e trinta documentos falsos para serem utilizados na campanha eleitoral de Governador Nunes Freire, para o pré-candidato Marcel Curió.

Audiência ouve testemunhas no processo de cassação do prefeito Domingos Curió

16Uma audiência na Vara do trabalho de Pinheiro ouviu as testemunhas no processo contra o prefeito de Turilândia Domingos Curió. Uma denuncia contra o prefeito oferecida pelo Ministério Público Estadual, representado pelo promotor Emanuel Soares de Santa Helena e aceita pelo Juiz Erico Renato Serra Cordeiro o afastou do cargo. Curió ficou afastado do cargo de prefeito por três dias e só voltou, graças a uma liminar de um desembargador que suspendeu a decisão do juiz e a cassação do prefeito.

Funcionários da educação, vereadores da oposição e populares vieram a Pinheiro e com faixas, cartazes e gritando, pediam o afastamento do prefeito e o resçacimento do dinheiro que eles acusam o prefeito de ter desviado, disse o vereador  Gonzaga. Para a presidente do Sindicato dos professores e servidores da educação do município de Turilândia Edinólia, é a esperança da maioria da população de Turilândia que a  justiça afaste o prefeito acusado de improbidade administrativa e de vários crimes contra o patrimônio público e desvio de recursos. Disse. Em 2011 o prefeito teria contratado o presidente do Sindicato dos professores e o feito secretario municipal. Alem de acumular os 2 cargos, ele segundo a presidente, desviava recursos e deixava o chefe do executivo manipular o sindicato para interesses eleitoreiros.

O juiz Erico Cordeiro disse que não poderia falar sobre o caso, mas, depois de ouvir em audiência as testemunhas deverá dar o seu parecer em 10 dias. Na audiência em Pinheiro, não compareceu nenhum representante do prefeito de Turilãndia Domingos Curió.

 Justiça do Trabalho afasta prefeito de Turilândia

Como resultado de uma Ação Civil Pública, ajuizada pelo Ministério Público do Maranhão, a Justiça do Trabalho determinou o afastamento do prefeito de Turilândia Domingos Sávio Fonseca Silva, conhecido como Domingos Curió, e do secretario municipal de Educação, Rogério Martins Marques. Pela decisão liminar, o presidente da Câmara Municipal deve dar posse, no prazo máximo de 48 horas ao vice prefeito Alberto Magno, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

domingos-curioO legislativo municipal foi notificado, na manhã desta terça-feira (18/1), para cumprir a decisão do juiz Érico Renato Serra Cordeiro. A liminar determina, ainda, o bloqueio de todas as movimentações financeiras das contas municipais por parte de Domingos Curió.

De acordo com o promotor de Justiça Emmanuel Netto Guterres Soares, titular da comarca de Santa Helena, da qual Turilândia é termo judiciário, Curió nomeou, em 2009, o então presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos Municipais de Turilândia (SINSEREP-TU), Rogério Martins Marques para o cargo de Secretario Municipal de Educação. Eles são acusados de atos de improbidade administrativa prejudicando a liberdade sindical e os professores. Mesmo ocupando um cargo de confiança no primeiro escalão municipal, Rogério Martins Marques não se afastou formalmente da diretoria do sindicato. Na Ação Civil Pública, o MPMA argumenta que o prefeito cooptou o então presidente do sindicato e o colocou na Secretaria de Educação com a intenção de interferir irregularmente na entidade sindical, mantendo o controle político e administrativo. “Na mesma época, havia negociações sobre o plano de carreira dos professores”, ressaltou o promotor de Justiça. Após o afastamento formal de Marques da direção do sindicato, ele ainda continuou controlando atividades na instituição e possuía, inclusive, a senha para o acesso ao computador da entidade. Além disso, a sede do sindicato funcionava em um compartimento na casa do secretário de educação, que tinha total acesso às dependências, além de receber os aluguéis pagos a si próprio. As contribuições arrecadadas dos filiados também eram depositadas na conta pessoal dele. “A prática de vários atos ilegais foi uma forma de dominar o sindicato e adequá-lo aos interesses da Prefeitura Municipal”, avaliou Emmanuel Netto Guterres Soares. Ao tomar conhecimento dos fatos, o Ministério Público identificou atos de improbidade administrativa, interferência indevida e manipulação política na liberdade sindical. Na Ação Civil Pública, o MPMA pede a condenação dos acusados por improbidade administrativa, perda da função pública e suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos.

Durante muito tempo, estas foram as principais noticias vinculadas em vários veículos de comunicação, e que ainda hoje ecoa nos quatro cantos da pacata cidade de Turilândia.

FONTE DE PESQUISA: Blog do Paulinho Castro